RAW vs JPEG

Eu acho que quase todos os fotógrafos (inclusive eu) somos, pelo menos, um pouco culpados por dizermos às pessoas para fotografarem em RAW. Enquanto aprender a fotografar em RAW é um procedimento de extrema importância, se você deseja explorar e tirar o máximo proveito do recurso RAW da sua câmera, essa pode não ser a melhor opção para cada situação. Vamos direto ao assunto para vermos o que estes dois formatos de arquivo realmente são. Vamos lá!

Agora, se você deseja aprender como fazer fotos profissionais com sua câmera ou celular, recomendo que você assista a esse vídeo agora mesmo...

Começando pelos arquivos RAW. Esses RAW não são realmente arquivos de imagem que podem ser vistos de forma direta, sem um software especial para decodificá-los. Além do mais, esses arquivos RAW possuem geralmente um formato proprietário (sendo a excepção o formato DNG da Adobe.). Por exemplo, os arquivos RAW da Canon tem a extensão .CR2, enquanto que os arquivos RAW da Nikon têm a extensão .NEF. É difícil dizer quanto tempo estes formatos de arquivo serão pelos software de leitura / processamento em formato RAW. No entanto, é seguro assumir que sempre que você comprar uma nova câmera, essa irá incluir um software para ler seus arquivos RAW. O problema é que os softwares mais recentes podem não suportar os formatos RAW mais antigos.

Em um voto de confiança, a Adobe afirmou que eles sempre vão dar suporte para o seu formato DNG. Então, algumas pessoas estão convertendo seus arquivos RAW em arquivos DNG, o que é uma conversão lossless (sem perda de dados durante a conversão, ao contrário de compressão JPEG). Isso pode ser feito facilmente quando você importar suas fotos em seu computador, se você estiver usando o Adobe Bridge. A Adobe também tem um conversor DNG livre disponível.

Você pode pensar em um arquivo RAW como um negativo digital. Assim, tem de ser desenvolvido (processado), da mesma maneira que você iria desenvolver um filme negativo. Arquivos RAW contêm todos os dados captados pelo sensor de imagem, o que dá ao fotógrafo uma ampla gama de dados para trabalhar durante a fase de desenvolvimento.

O JPEG, por outro lado é um formato universal. Você não precisa de nenhum software especial para abri-los e eles estão prontamente disponíveis para impressão, direto da câmera. Eles são fáceis e mais rápidos de manipular, mas lhes falta algumas das vantagens que só os arquivos RAW oferecem.

raw vs jpeg 01
Adobe Camera RAW 7.0 - A imagem que você vê acima é um arquivo RAW vindo da câmara, sem qualquer modificação.

Prós e Contras de Fotografar em RAW

Você consegue todas os dados possíveis do sensor da câmera - Se o seu balanço de branco está ruim, é muito mais fácil de mudá-lo depois.

Profundidade de bits superior - Sem entrar em detalhes técnicos, isso permite uma transição mais suave entre as cores. A maioria das DSLRs capturam RAW em 12 bits ou 14 bits, enquanto JPEGs são de 8 bits.

Edição não destrutiva - Qualquer coisa que você faz em um arquivo RAW será salva em um arquivo .xmp suplementar. No entanto, quando você está editando JPEGs, tem que salvar uma cópia adicional se você quiser manter o seu original.

Arquivos RAW podem ser usados como prova - Se você alguma vez encontrar-se em um tribunal e precisar provar que uma imagem pertence a você, fornecer o arquivo RAW praticamente encerra o caso, com um forte argumento em seu favor.

Faixa dinâmica superior - Se você fotografar em RAW, é muito mais fácil de recuperar áreas subexpostas ou superexpostas do que fotografando em JPEG. Embora os detalhes severamente superexpostos serão perdidos, o RAW oferece os dados puros para a restauração.

Pseudo HDR - Este é o lugar onde você faz vários ficheiros com exposições diferentes utilizando um único arquivo RAW e os combina em um conjunto para alcançar um resultado melhor. Claro, o HDR verdadeiro é melhor, mas às vezes nós não temos a chance de ajustar nossas fotos do jeito que queremos. É bom ter uma opção para ressuscitar uma foto mal tirada. Esta é uma tarefa que pode ser difícil de realizar utilizando JPEGs.

Mais fácil de lidar com o ruído da imagem - Arquivos RAW ocupam mais espaço. Um arquivo RAW de uma câmera de 15 MP possui aproximadamente 15 MB. Isto, obviamente, depende de outras definições, como ISO, etc. Mas com opções de armazenamento sendo reduzidas ao custo de centavos, isso não deve representar uma grande ameaça.

Arquivos RAW enchem o buffer da câmera mais rápido. Isso pode se tornar um problema quando se fotografa no modo contínuo. Como os arquivos RAW ocupam mais espaço, o buffer da câmara será preenchido, depois de tirar um certo número de fotos. Em seguida, a câmera tem que parar e gravar esses arquivos no cartão de memória antes de fotografar novamente. Por exemplo: Você fotografa 10 imagens e tem que parar para esperar que ela grave os dados. Claro, isso depende da câmera.

Requer software especial para visualizar e editar e não é adequado para imprimir diretamente da câmera - Arquivos RAW precisam ser processados ​​antes de fazermos qualquer coisa com eles. Você precisa de um computador relativamente mais rápido para editar arquivos RAW, uma vez que contêm uma grande quantidade de dados. Embora, qualquer computador moderno possa ser capaz de lidar com arquivos RAW, com facilidade.

Prós e Contras do Formato JPEG

Menor em tamanho - Pode ser impresso diretamente.

Nenhum software especial necessário - Pode disparar um número significativamente maior de JPEGs, antes que enche o buffer câmera.

JPEG é um formato universal - A câmara faz algum processamento para você.

Faixa dinâmica menor - Dados do balanço de branco, os dados de espaçamento de cor, etc. são incorporados ao JPEG. É mais difícil de corrigir o balanço de brancos mais tarde com um JPEG do que com um arquivo RAW.

Alguns dados são perdidos durante a compressão - Cada vez que você abrir um JPEG e salvar, ele passa pelo processo de compressão outra vez. É aconselhável que você mantenha o arquivo PSD e exporte um JPEG, sempre que você precisar e se você quiser fazer mais alterações, você sempre pode recorrer ao arquivo PSD para evitar a compressão do JPEG várias vezes.

raw vs jpeg 02Comparação RAW vs JPEG. Essas duas imagens vieram direto da câmera. Na esquerda você pode ver a imagem RAW e à direita você pode ver o JPEG. É óbvio que quando você compara as duas imagens, o JPEG parece melhor. A câmera fez algum tratamento prévio na imagem, que parece um pouco mais brilhante, mais nítida. Então, se você não planeja processar suas fotos no futuro, fotografar em JPEG parece ser a melhor opção.

Essas duas fotos foram tiradas usando a opção RAW + JPEG, o que significa que foram tiradas exatamente ao mesmo tempo, usando exatamente as mesmas configurações. O arquivo RAW possui 19.52MB comparado aos 5.75MB do JPEG.

raw vs jpeg 03Comparando arquivos processados RAW vs JPEG. A imagem RAW processada ​​está à esquerda e o JPEG processado ​​está à direita. Uma vez que eles foram carregados no Photoshop, ambos os quadros passaram pelo mesmo fluxo de trabalho. A única diferença é que o arquivo RAW foi ajustado usando o Camera RAW antes de carregá-lo no Photoshop.

Se você olhar de perto, você pode ver também uma diferença muito sutil de perspectiva. Isso é porque foi aplicado o template de correção de lente à imagem RAW. Sempre que você tirar uma foto, ocorre alguma distorção devido à lente. Quanto menor a sua distância focal, maior a distorção. Essa distorção pode ser facilmente corrigida usando o Camera RAW. Uma vez que esta foto foi tirada em 300 milímetros, não há quase nenhuma distorção.

Você também pode abrir os JPEGs usando o Camera RAW, que nem sempre abre em alguns casos. Talvez você precise usar alguma versão anterior do Photoshop, porque antes você podia abrir JPEGs usando o Camera Raw com o uso do Adobe Mini Bridge, mas Photoshop CC não tem mais essa mini-brigde. Embora o Camera RAW possa oferecer algumas configurações para arquivos JPEGs, não oferece tantas quantas são possíveis em um arquivo RAW. A imagem RAW processada mede 9.53MB enquanto que o JPEG processado mede 6.15MB.

Você pode notar que os exemplos acima são meramente ilustrativos, até porque as imagens para web são todas JPEG, com alguma compactação mais acentuada. Porém, é possível perceber as diferenças, mesmo nessas condições. Se você pudesse ver os arquivos reais, perceberia uma diferença ainda maior, porque aqui a imagem foi rebaixada para 8bits.

Voltando ao assunto: Em ambientes e situações ideais, onde você tem o controle sobre a maioria dos elementos (como iluminação de estúdio, etc.), o RAW oferece pouca vantagem sobre os JPEGs. Quanto mais você se afastar das condições ideais, e quando a velocidade e o espaço não é uma preocupação, fotografar em RAW pode ser a melhor opção.

Na prática, você vai tirar um monte de fotos em situações não ideais. É meio complicado usar um cartão cinza, quando se está fotografando um elefante na natureza, só pra garantir o meu balanço de branco correto. Eu duvido que o elefante curtiria me ver apontando qualquer coisa pra ele. É preferível gastar uns 30 segundos extras para corrigir o meu balanço de branco durante o pós-processamento.

raw vs jpeg 04 

Aqui está um exemplo de um pseudo HDR pós-produzido. No lado direito você pode ver o arquivo RAW original utilizado para fazer esse pseudo HDR à esquerda. Seria praticamente impossível alcançar este nível de detalhes com um JPEG. Nesse caso o RAW ganhou todas as estrelas.

Volto a falar mais sobre esse tema em outro post.